Importância do sono para conseguir êxito nos estudos

  • Publicado em 29/08/2016
  • Notícias Dicas
  • 372

Procure dormir adequadamente, não invada a madrugada estudando, pois, desta forma prejudicará várias funções importantes, tanto cerebrais quanto de recuperação celular.

O sono não é perda de tempo, ele é muito importante no desempenho global, pois você precisa render o máximo possível, e o máximo só se consegue cuidando bem de seu corpo e de sua mente.

Dormir não é apenas uma necessidade de descanso mental e físico: durante o sono ocorrem vários processos metabólicos que, se alterados, podem afetar o equilíbrio de todo o organismo a curto, médio e, mesmo, em longo prazo. Estudos provam que quem dorme menos do que o necessário tem muito menor capacidade de concentração, além de ter menor vigor físico, envelhecer mais precocemente, estar mais propenso a infecções, à obesidade, à hipertensão e ao diabetes. Qual é a quantidade ideal de horas de sono? Embora essa necessidade seja uma característica individual, a média da população adulta necessita de 7 a 8 horas de sono diárias.

É nos estudos que os primeiros sintomas da falta de sono são percebidos. O desempenho cai e a pessoa pode até ser equivocadamente diagnosticada como hiperativa, em função da irritabilidade e de sua dificuldade de concentração, consequentes da falta do sono necessário.

É no sono “REM”, quando acontecem os sonhos, que as coisas que foram aprendidas durante o dia são processadas e armazenadas. Se dormir menos que o necessário, sua memória de curto prazo não é adequadamente processada e a pessoa não consegue transformar em conhecimento aquilo que foi aprendido. Em outras palavras: se alguém não dorme o tempo necessário, tem muita dificuldade para aprender coisas novas. Riscos provocados pela falta de sono em curto prazo: cansaço e sonolência durante o dia, irritabilidade, alterações repentinas de humor, perda da memória de fatos recentes, comprometimento da criatividade, redução da capacidade de planejar e executar, lentidão do raciocínio, desatenção e dificuldade de concentração.

Riscos provocados pela falta de sono em longo prazo: falta de vigor físico, envelhecimento precoce, diminuição do tônus muscular, comprometimento do sistema imunológico, tendência a desenvolver obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e gastrointestinais e perda crônica da memória.¹

Fonte: Dra. Regeane Trabulsi Cronfli, USP- ONG Cérebro e Mente.