Alunos de Biomedicina da Esamaz participam do projeto “Biomedicina Solidária” no Hemopa

  • Publicado em 27/09/2017
  • Notícias Biomedicina
  • 822

Ontem (26), alunos do 1º e 5º semestre do curso de Biomedicina da Esamaz participaram do projeto "Biomedicina Solidária" no Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará, Hemopa. Promovido pela Academia Paraense de Biomedicina, o encontro proporcionou aos alunos orientações a respeito da importância da doação de sangue e logo após, também fizeram visita monitorada pelo Centro de Hemoterapia e Hematologia.

Cerca de 31 alunos da Esamaz participaram da atividade distribuídos pelo período da manhã e à tarde. Para professora Paloma Santos, coordenadora do curso de Biomedicina, esse encontro proporciona aos acadêmicos a oportunidade de serem ‘multiplicadores de informação’, onde vão saber a importância da doação, o valor do Biomédico no banco de sangue e os locais de atuação do profissional na Fundação Hemopa. “Nesse processo temos os Biomédicos envolvidos, trabalhando fazendo exames, então é importante que eles venham conhecer um pouco da profissão que eles vão exercer”, declara Paloma Santos.

Exemplo a ser seguido

Em um gesto de amor ao próximo, a coordenadora do curso de Biomedicina, Paloma Santos realizou a doação de sangue após as atividades com os alunos no período da manhã e ressalta sobre esse momento. “Eu já sou doadora de sangue, na verdade eu já tenho uma relação com o Hemopa. Estagiei no Centro durante a faculdade e na época eu conheci a importância da doação”, explica Paloma.

Ao término da palestra, cujo o tema era “Captação de doadores na Fundação Hemopa”, Jhuliana Cardoso, aluna do 1º semestre foi contemplada com brinde da instituição através de sorteio, e declara a respeito do encontro. “Muito importante, muito válido esse momento aqui no Hemopa, principalmente aos alunos do primeiro semestre”, diz.

Em concordância com a colega de classe, Lívia Lino destaca que já teve a experiência de ser doadora e ressalta que essa atividade ajudou a esclarecer algumas dúvidas. "Na época em que realizei a doação até os dias atuais, mudou muita coisa, foi muito produtivo, foi de suma importância e agregou muito conhecimento para nós alunos”, declarou Lívia.


Um gesto de amor

Sensibilizada e feliz, Alice Penante, aluna do 1º semestre de Biomedicina, realizou o cadastro para doação de medula óssea logo após a visita monitorada no Centro. Alice relembra que já teve amigas que morreram por conta da Leucemia e destaca. “ A doação em si é um gesto importante, quanto mais pessoas realizarem o cadastro, maior a possibilidade de encontrar alguém compatível”, diz.

Galeria de Imagens